Portfólio

20 registros encontrados

Filtro(s) escolhido(s):
Editora Unesp

21
Julho
2014

O homem diante da morte

Cliente: Editora Unesp
Serviços: Revisão

Neste abrangente estudo Philippe Ariès investiga o comportamento humano diante da morte ao longo do último milênio nas sociedades ocidentais. A partir de uma perspectiva histórica, sociológica e até mesmo psicológica, ele analisa textos literários, inscrições lapidares, obras de arte, diários pessoais para mostrar que as atitudes em relação à morte, própria e dos outros, foram se transformando, de modo quase imperceptível, no decorrer do tempo, até se tornarem irreconhecíveis em relação aos séculos anteriores. A comparação entre a morte familiar e “domesticada” da sociedade cristã medieval e a morte repelida, percebida como negação absoluta e tornada oculta da Era Contemporânea, dão a medida justa dessa mutação.

 


14
Julho
2014

A ciência da linguagem

Cliente: Editora Unesp
Serviços: Revisão

A ciência da linguagem remete a um passado transcorrido há cerca de 60 mil anos, quando, simultaneamente, o ser humano adquire a função da linguagem e experimenta um salto evolutivo gigantesco e sem precedentes nas centenas de milhares de anos anteriores. Para Chomsky foi a linguagem, primeiramente como pensamento, que levou à súbita evolução, pois, ele afirma, não há meios de  especular e pensar sobre algo a menos que se possa, de algum jeito, construir um número ilimitado de pensamentos complexos: “Tal capacidade é proporcionada pela linguagem”.

Chomsky acredita que a linguagem surgiu de um processo evolutivo de base biológica a partir de um único indivíduo e foi geneticamente transmitida a sua prole. Assim descrito, afirma McGilvray, esse processo evolutivo tem implicações importantes. Uma delas é que, ao tornar o ser humano a espécie única que é, a introdução evolucionária da linguagem explica, talvez por si mesma, o que é humano sobre a natureza humana. “Se for assim, existe uma causa naturalística – não religiosa, tampouco meramente especulativa – daquilo que nos torna únicos”, escreve McGilvray.


03
Julho
2014

A Revolução Cubana

Cliente: Editora Unesp
Serviços: Revisão

Revisão do texto em inglês do livro A Revolução Cubana.

Nesta obra, a abordagem do processo histórico cubano toma como referência o contexto vivenciado pelos atores da revolução, considerando suas opções e decisões à luz dos dilemas apresentados pela realidade de uma época marcada por fortes constrangimentos externos originários da guerra fria entre os Estados Unidos e a União Soviética. Será essa a base da reflexão sobre os desafios atualmente colocados para a continuidade do processo iniciado nos anos 50. Na ocasião, uma profunda reestruturação interna da economia e sociedade cubanas e o desafio à hegemonia dos EUA sobre a América Latina, cujos países haviam iniciado um processo de industrialização voltado para o mercado interno, visando ao atendimento de prioridades nacionais, passa a receber pressões externas em favor da abertura das economias à penetração do capital estrangeiro e à instalação de filiais de empresas multinacionais.

 


15
Maio
2014

A coluna da morte

Cliente: Editora Unesp
Serviços: Preparação

Esta obra apresenta, na íntegra, o relato clássico de João Cabanas (1895-1974) da sangrenta Revolução de 1924, que tomou de assalto a cidade de São Paulo entre 5 e 28 de julho, deixando um rastro de destruição e morte. Durante aqueles dias cerca de 400 mil pessoas deixaram a capital, então com 700 mil habitantes, para sair da mira de granadas, tiros de artilharia pesada e até bombardeios aéreos que acabaram por arruinar vários bairros, ferir mais de 500 pessoas e matar outras 5 mil.

O livro inclui as conferências de Cabanas, proferidas em 1927 em várias cidades brasileiras, em defesa dos princípios da Revolução. As conferências renderam fundos que Cabanas doou à Coluna Prestes. Em vez dessa atividade, porém, ele teria preferido voltar a juntar-se às tropas de Prestes estacionadas no Paraguai, mas um problema de saúde o forçou a permanecer no Brasil. Acabou preso, saiu sob fiança e passou a fazer as conferências, não sem, também nesse campo, enfrentar fortes resistências. 


11
Novembro
2013

Os arquivos Freud

Cliente: Editora Unesp
Serviços: Preparação

Preparação e elaboração de texto da orelha.

Freud e sua obra têm provocado mal estar em parte da intelectualidade contemporânea, para quem o título que o celebrizou, o de pai da psicanálise, não é merecido e que julga a  própria psicanálise como uma farsa, construída ao sabor da necessidade de afirmação do médico austríaco perante a História.

Neste livro, publicado pela primeira vez no Brasil, os historiadores da psiquiatria e da saúde mental, Mikkel Borch-Jacobsen e Sonu Shamdasani tentam demonstrar essa tese, por meio de um cuidadoso exame de textos e correspondências disponíveis do célebre psicanalista. E afirmam que o grande volume de escritos de sua autoria ainda hoje mantidos sob sigilo poderia demolir de vez a aura de Freud, que teria se autocanonizado. Parte daquela produção, que repousa sob uma proteção oficial de surpreendente duração em instituições públicas, como a Biblioteca do Congresso em Washington, se tornará acessível aos pesquisadores somente em 2113.


« Anterior  001|002|003|004 Próximo »